A importância do atendimento humanizado no consultório odontológico

A importância do atendimento humanizado no consultório odontológico

Tanto na odontologia como no ramo da saúde em geral o atendimento humanizado nos consultórios é um tema cada vez mais presente e segue como uma das tendências na área, mas você sabe o que o conceito envolve?

No Brasil, a perspectiva de uma saúde mais humanizada começou a se espalhar entre os profissionais de saúde, sobretudo, a partir de 2003 com o lançamento da Política Nacional de Humanização (PNH).

Nessa perspectiva, o foco do dentista passa a ser menos nas doenças, e mais no paciente por completo. Com isso, há benefícios para a saúde da pessoa atendida. Além disso, do ponto de vista do empreendedor, o atendimento humanizado pode servir na fidelização de pacientes, já que ao aderirem a essa visão os locais mudam o acolhimento e a comunicação com os clientes.

Quer entender melhor a abordagem humanizada? Continue lendo o texto e descubra a importância desse tipo de atendimento para o sucesso do seu negócio!

Entenda as características de um atendimento humanizado

De forma geral, o atendimento humanizado é enfatizar a autonomia do paciente sobre sua saúde. Dessa forma, a pessoa deve se sentir acolhida e ouvida o suficiente para que se veja como parte do processo de decisões sobre sua saúde bucal.

Na prática, isso quer dizer, por exemplo, escutar as queixas do paciente, explicar detalhadamente sobre os aspectos envolvidos nos tratamentos e mostrar quais são as opções de procedimento para que a própria pessoa decida junto com o profissional a melhor alternativa.

Para muitos, ir ao dentista é uma experiência que envolve receio da dor ou até mesmo um certo medo. Por isso, não basta apenas tentar solucionar o problema, é preciso conversar calmamente com o paciente para que aquele procedimento, mesmo que simples, seja o mais confortável possível.

Conheça o conceito de slow dentistry

Lembra do slow food? É daí que vem a inspiração para o nome “slow dentistry”. Para quem não conhece, o primeiro é um movimento que surgiu na Itália no qual a uma há associação do prazer de se alimentar a uma refeição mais lenta e com ingredientes mais locais. Já o slow dentistry segue a mesma lógica de redução da velocidade, mas no cotidiano da odontologia.

Nessa perspectiva, os profissionais de saúde devem buscar um atendimento mais calmo e desacelerado, de forma que o paciente tenha uma experiência gratificante. Pois, o bem-estar da pessoa depende também de aspectos emocionais, não só da resolução de um problema pontual físico. Na odontologia, por exemplo, ressaltar a relevância da higienização dos dentes pode evitar complicações da saúde bucal.

Mude a abordagem e o acolhimento do consultório

Na prática, a humanização do atendimento pode envolver as mais diversas ações que tenham como objetivo ampliar o conforto do paciente. No espaço do consultório, por exemplo, isso pode começar a ser feito pela iluminação, escolha de cores das paredes e cadeiras de tratamento.

No entanto, mais do que colocar músicas relaxantes e propiciar um ambiente tranquilo, o atendimento humanizado necessita de uma conversa franca e longa com o paciente. É fundamental que o profissional demonstre empatia para que, assim, a pessoa atendida sinta segurança e confiança no dentista. Confira algumas sugestões para tornar a sua abordagem mais humanizada:

  • não ignore o estado emocional do paciente;
  • transmita interesse e atenção;
  • escute, entenda e respeite as suas queixas;
  • explique de forma fácil como se dão os procedimentos;
  • esclareça sobre o resultado esperado para evitar frustrações.

Tenha atenção no atendimento ao público infantil e idoso

Na odontologia, o atendimento às crianças e aos idosos envolvem ainda mais atenção. É preciso ter paciência, assim como recorrer a ações específicas para esses públicos. No caso das crianças, por exemplo, há necessidade de explicar sobre os primeiros cuidados com saúde bucal e diminuir o medo de ir ao dentista.

Para os idosos, o atendimento odontológico também inclui aspectos específicos. É fundamental considerar o histórico médico do paciente, já que o uso da prótese e doenças comuns na terceira idade, como hipertensão e diabetes, interferem na saúde bucal do idoso.

Achou interessante este texto sobre atendimento humanizado? Aproveite para ler também esse outro artigo sobre boas práticas para o atendimento ao cliente e melhore o acolhimento no seu consultório!

Compartilhe:

Veja nossos TRATAMENTOS

passe o mouse e clique para ver mais detalhes

Quer ter uma franquia da Amiga Odontologia?
Clique aqui e saiba mais.

Receba as NOVIDADES DA AMIGA