Ética odontológica: o que você não pode esquecer!

Ética odontológica: o que você não pode esquecer!

Vigente desde o dia 1 de janeiro de 2013, o Código de Ética da Odontologia traz preceitos que devem permear todas as relações e ações que o cirurgião-dentista toma durante sua carreira. Elaborado após a regulamentação da profissão e extensas discussões entre membros dos Conselhos, de entidades públicas e privadas e representantes da classe, reúne diretrizes para a garantia da ética odontológica.

Listamos abaixo pontos cruciais que você não pode esquecer para manter a ética em todas as suas relações profissionais. Confira quais são eles nos tópicos!

Conheça seus direitos e deveres fundamentais

Entre os direitos fundamentais do cirurgião-dentista estão a liberdade para avaliar, diagnosticar e tratar os pacientes no limite de suas atribuições e recusar-se a exercer atividades profissionais caso não receba condições dignas e seguras (tanto na esfera pública, quanto na esfera privada).

Além disso, ele não deve tratar um paciente caso sejam constatados fatos que prejudiquem o exercício da profissão ou a relação entre ambos, e precisa recusar disposições regulamentares que limitem meios para diagnóstico e tratamento de pacientes, salvo em caso de pedido dos mesmos.

Já entre os deveres fundamentais do cirurgião-dentista estão exercer a profissão dignamente, zelar e trabalhar de acordo com os preceitos éticos em prol do prestígio da profissão e atualizar seus conhecimentos técnicos durante a carreira.

Ademais, assegurar condições necessárias para exercício da profissão, zelar pela saúde do paciente, comunicar aos Conselhos Regionais quaisquer atividades ilegais que sejam de seu conhecimento, apontar falhas em instituições que trabalham, garantir as informações completas do paciente no prontuário, assim como o acesso a ele, entre outros.

Preserve o paciente

A ética odontológica toma forma principalmente na relação com o paciente. O cirurgião-dentista deve, de acordo com o código, garantir o sigilo profissional. Isso significa que informações sobre o estado de saúde do paciente e seu tratamento não podem ser compartilhadas.

Sendo dever do cirurgião-dentista zelar pela segurança e saúde do paciente, ele somente deve desempenhar procedimentos para os quais esteja devidamente habilitado. Além disso, precisa sugerir tratamentos que sejam realmente necessários, garantindo assim uma relação de transparência.

Tenha bom relacionamento com sua equipe

O relacionamento do cirurgião-dentista com sua equipe deve ser delineado de acordo com o Código de Ética da Odontologia. O profissional precisa ser respeitoso e cordial com todos, abolir abuso de autoridade e não hesitar em apontar erros ou falhas que comprometam o prestígio da profissão.

Também deve se atentar às questões legais. Não negligenciar eventos negativos resultantes de má conduta profissional nem permitir que protéticos ou auxiliares de saúde bucal realizem procedimentos odontológicos. Além de uma clara violação da regulamentação da profissão, esses comportamentos colocam o paciente em risco.

Acerte no marketing

O Código de Ética Odontológica traz diretrizes para a publicidade feita pelo cirurgião-dentista. De acordo com o texto, as propagandas são permitidas, porém com restrições. É obrigatório incluir nas peças de marketing o nome do profissional ou da empresa, além do número de inscrição PF ou PJ e o nome correto da profissão (cirurgião-dentista).

Outros itens são opcionais, como endereço, telefone, convênios atendidos, áreas de atuação, procedimentos realizados, técnicas utilizadas, especialidades do cirurgião-dentista etc.

Entretanto, é proibido divulgar títulos e especializações que não forem registrados no Conselho Federal e técnicas que ainda não foram comprovadas cientificamente.

Também não é permitido fazer propaganda abusiva com imagens de “antes e depois”, que anunciam tratamento gratuito ou oferecem condições de pagamento (comercializam a odontologia), divulgar o trabalho por meio de plataformas de descontos ou anunciar uso de equipamentos sem registro.

Conforme mostramos no texto, a ética odontológica tem preceitos simples, justos e fáceis de serem seguidos. Basta lembrar-se de valorizar e zelar pelo bem-estar do paciente, ser transparente nas relações profissionais, garantir o sigilo, não se calar diante de irregularidades e seguir as orientações de marketing. Dessa forma, o exercício da profissão transcorre de maneira lícita e segura tanto para o cirurgião-dentista quanto para o paciente.

Gostou do texto? Conheça as principais tendências da odontologia para 2018.

Compartilhe:

Veja nossos TRATAMENTOS

passe o mouse e clique para ver mais detalhes

Quer ter uma franquia da Amiga Odontologia?
Clique aqui e saiba mais.

Receba as NOVIDADES DA AMIGA