Medo de dentista: como ajudar o paciente a superar?

Medo de dentista: como ajudar o paciente a superar?

Para algumas pessoas, uma atividade tão simples quanto ir ao dentista é um verdadeiro suplício. Por receio da dor e aversão aos instrumentos odontológicos, muitos ainda deixam de cuidar da saúde bucal. No entanto, o profissional também tem o seu papel na redução do medo de dentista.

Geralmente, o receio de ir a um consultório odontológico vem do desconhecimento dos procedimentos ou de uma situação anterior negativa. Desse modo, é fundamental que o dentista tenha empatia e se coloque no lugar do paciente.

Com poucas atitudes, você pode melhorar bastante a experiência do paciente. Confira algumas dicas!

Crie um ambiente agradável

Antes de tudo, o seu consultório precisa ser um ambiente convidativo. Assim, mantenha sempre o local limpo e arrumado.

Além disso, mesmo que não seja possível silenciar completamente os barulhos dos instrumentos motorizados no consultório, dá para criar uma atmosfera mais relaxante com o uso de músicas calmas desde a recepção, por exemplo. Também pode ser uma boa alternativa fornecer ou sugerir que o paciente leve fones de ouvido para diminuir o ruído dos aparelhos.

Tenha também atenção à luz e à ventilação do local. O ambiente deve ser acolhedor. Assim, tente reduzir as luzes mais intensas sob o paciente.

Porte-se sempre de maneira profissional

Outro fator que ajuda a diminuir o medo de ir ao dentista é a confiança do paciente no profissional. Quanto mais o cliente se sentir seguro, menos receio ele vai ter dos procedimentos.

Dessa forma, passe segurança para o paciente. Para isso, é primordial manter sempre uma postura profissional. Tenha paciência e explique detalhadamente os passos para o tratamento bucal. Lembre-se de checar se a pessoa está sentindo dor ou algum desconforto.

Com um comportamento receptivo e uma boa relação, o dentista pode ganhar a confiança do paciente.

Transforme a primeira consulta em uma conversa

Em alguns casos, é preciso mais de uma visita para deixar o paciente mais confortável. Se você perceber que o paciente tem uma fobia —   ou seja, um medo muito intenso e irracional —  use a primeira consulta somente para conversar.

Entenda os receios e as queixas do paciente para decidir qual a abordagem mais adequada. Às vezes, o paciente tem uma aversão específica de um cheiro ou de um instrumento que pode ser facilmente contornado.

Também pode haver medo por falta de informação. Então, explique os procedimentos de forma detalhada. Fale sobre a duração do tratamento. O atendimento deve ser humanizado.

Sugira que o paciente leve um amigo

Para algumas pessoas, a companhia de um amigo ou familiar é fator de distração e apoio, já que ajuda a reduzir a ansiedade e a dar mais segurança. Então, se for o caso, recomende que o paciente leve alguém para dar suporte. Obviamente, essa pessoa precisa ser calma e não ter medo de ir ao consultório odontológico.

O importante é que o paciente se sinta confortável e tenha segurança no profissional para superar o medo de dentista. Pois, os cuidados com a saúde precisam ser rotineiros e preventivos.

Quer conferir mais dicas sobre atendimento odontológico? Então, curta nossa página no Facebook!

Compartilhe:

Veja nossos TRATAMENTOS

passe o mouse e clique para ver mais detalhes

Quer ter uma franquia da Amiga Odontologia?
Clique aqui e saiba mais.

Receba as NOVIDADES DA AMIGA