As melhores práticas para gestão financeira de consultórios

As 5 melhores práticas para gestão financeira de consultórios

Fazer a gestão financeira de consultórios pode ser um desafio para profissionais que não têm conhecimento na área e acabaram de abrir, por conta própria, sua primeira clínica.

Apesar de comum, a dificuldade na hora de cuidar das finanças da empresa pode levar a alguns problemas comuns na administração de consultórios, como fluxo de caixa desequilibrado, inadimplência de pacientes e atrasos no pagamento de impostos.

Para não colocar a saúde financeira do seu consultório em risco, adotar algumas boas práticas é essencial. Entre elas estão usar sistemas para registrar o fluxo de caixa, analisar dados financeiros periodicamente e planejar o capital de giro.

Conheça as 5 melhores práticas para gestão financeira de consultórios:

1. Tecnologia para registro do fluxo de caixa

Ter um fluxo de caixa saudável é mandatório para negócios de todos os segmentos, inclusive consultórios dentários. Nesse sentido, é importante saber exatamente quais são as entradas e saídas da empresa para, assim, se certificar que as receitas superam as despesas.

Muitos empreendedores não conseguem fazer esse registro com eficiência por pura falta de tempo ou, então, por não terem as ferramentas adequadas. Não corra esse risco e use a tecnologia a seu favor: adote já um sistema para registrar e controlar o fluxo de caixa do consultório. Assim, você não deixa de anotar nenhuma movimentação na conta da empresa, por menor que seja.

2. Análise periódica das finanças

Além de ter as entradas e saídas de caixa devidamente registradas, é importante prever na rotina um tempo para analisar os dados financeiros do consultório.

Dessa forma, você consegue saber se realmente está ganhando mais do que gasta e, ainda, se há pagamentos em atrasos e cobranças de pacientes a serem feitas.

3. Planejamento do capital de giro

Antes de abrir o primeiro consultório, muitos dentistas empreendedores consideram apenas o que precisarão de investimento inicial para colocar a empresa para funcionar. Esse é um deslize que pode comprometer a gestão financeira, pois além dos gastos que terão para abrir a clínica é preciso prever ainda a quantia necessária para mantê-la enquanto o lucro não vem.

Esse montante, conhecido como capital de giro, deve ser planejado antes mesmo de abrir as portas e atender o primeiro paciente. Para defini-lo, faça uma previsão do que precisará para manter a empresa funcionando antes do retorno do capital investido.

4. Criação de reserva de emergência

Assim como acontece nas finanças pessoais, quando o assunto é gestão financeira de empresas ter uma reserva para gastos que não foram previstos é um cuidado importante.

Assim, você evita ter que recorrer a empréstimos caso tenha alguma dificuldade que não era esperada, como um pedido de demissão de funcionário ou equipamento quebrado.

5. Ajuda especializada

Diferentemente do modelo de franquia, em que o empreendedor tem o suporte da franqueadora em todas as áreas de gestão, abrir um consultório por conta própria requer que o dentista entenda de todos os assuntos relacionados ao gerenciamento de uma empresa.

Caso não tenha aptidão para áreas como gestão de finanças e gestão de pessoas, por exemplo, não hesite em buscar ajuda especializada para não ter problemas.

Siga essas 5 melhores práticas para gestão financeira de consultórios, garanta a saúde financeira da sua empresa e a constante expansão do seu negócio.

Não deixe de ler também as 5 estratégias de marketing odontológico essenciais para o consultório.

Compartilhe:

Veja nossos TRATAMENTOS

passe o mouse e clique para ver mais detalhes

Quer ter uma franquia da Amiga Odontologia?
Clique aqui e saiba mais.

Receba as NOVIDADES DA AMIGA